Dia do Nada a Celebrar

8809-mes-da-consciencia-negra-tera-palestras-seminarios-caminhadas-e-apresentacoes-culturaisUma vez Morgan Freeman disse ao vivo em uma entrevista

“O dia em que pararmos de nos preocupar com consciência negra, amarela ou branca e nos preocuparmos com consciência humana, o racismo desaparece”

Freeman é um ator preto e, por seu sobrenome (Freeman), não é difícil imaginar que seja um descendente de escravos. Este foi um sobrenome dado a homens sem sobrenome que conquistavam sua liberdade (geralmente comprando) na América do Norte no século XIX. Free significa livre e man quer dizer homem, ou seja, homem livre; Fulano de Tal Homem Livre.

Não estranhe o adjetivo preto no lugar de negro. Aprendi com um grande amigo preto que negro é uma palavra relacionada a coisas ruins. Palavras como vala-negra, língua-negra, buraco negro sempre remetem a coisas negativas, enquanto que a palavra preto, enquanto adjetivo, é associada a coisas positivas. O café bom é o café preto, a cor do carro é preta, a quantidade alta de dinheiro é a nota preta. Por este motivo, optei há algum tempo em substituir negro por preto sempre que preciso me referir a cor da pele. Curiosamente, em boa parte dos idiomas ocidentais, acontece o mesmo. Por exemplo, em inglês, chamo meus primos de segundo grau que são pretos nascidos nos EUA de black, e não nigger.

Sobre nosso feriado brasileiro, um dado curioso é que Zumbi dos Palmares não era lá um homem muito admirável, como um Nelson Mandela ou um Kofi Annan. Ele mesmo foi dono de escravos. Escravos, aliás, que ainda existem no mundo. Na África, ainda existem africanos que escravizam africanos, bem como, ao longo de toda a história, brancos escravizaram brancos, amarelos escravizaram amarelos e, se houvessem azuis ou verdes, fatalmente o mesmo teria ocorrido.

Homens maus escravizaram outros homens ao longo da história, e se nos preocuparmos em não darmos espaço para os maus, os punindo por seus crimes e más intenções, independentemente de suas cores, os bons de todas as raças, etnias e “cores” prosperarão.

“Dia da consciência negra? Isso é ridículo! Por quê reduzir toda a história a um dia? Qual é o dia da consciência branca? Qual é o dia da consciência judaica? E vocês, brancos e judeus, querem isso? A história dos pretos é a história da América. Querem acabar com o racismo? Acabem com isso.”

– Morgan Freeman

 

Forte abraço, PMA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.